Geppetto brasileiro - EYE4DESIGN Geppetto brasileiro - EYE4DESIGN
27-07-2015

Geppetto brasileiro

Bruno Faucz com sua poltrona Nonno para a Moora
Bruno Faucz com sua poltrona Nonno para a Moora

 

O design brasileiro ganha cada vez mais destaque na mídia nacional e internacional. Se considerarmos os mestres do passado, Zanine Caldas, Sergio Rodrigues, Irmãos Campana, Paulo Mendes da Rocha, a italiana radicada brasileira Lina Bo Bardi, entre outros, o País forma no momento a segunda geração, seguida, de grandes talentos. Por isso, fica impossível citar nomes, por dois motivos: fazer uma lista gigantesca ou então cometer o grave erro de se esquecer algum. Mas entre essa galera jovem, descolada e talentosa um destaca-se a cada criação, o catarinense Bruno Faucz, 28 anos.

Poltrona Giz, de Bruno Faucz para Tissot
Poltrona Giz, de Bruno Faucz para Tissot

 

Natural de São Bento do Sul – principal cidade em fabricação de móveis no Brasil entre os anos 1990 e 2000, principalmente no quesito exportação – Bruno sempre soube que queria ingressar em uma profissão que envolvesse a criatividade. Ao prestar o vestibular ele se candidatou aos cursos de Publicidade e Design de Mobiliário, e foi na segunda opção que matriculou-se. “Não consigo me imaginar vivendo em outra área, o design faz parte do meu dia a dia, olho para tudo questionando o processo construtivo, conceito e tudo mais.” O jovem completa em tom de brincadeira falando sobre o “carma” que os designers vivem. “Acho que essa é a maldição que o Jonathan Ive, head designer da Apple fala no documentário Objectfied, ele diz que o designer sofre de uma maldição, pois questiona tudo que olha”.

Aparador Amparo, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria
Aparador Amparo, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria

 

Traçando uma linha entre todas as peças que Bruno já lançou é perceptível a paixão que ele tem por um material, presente em quase todos seus projetos: a madeira. Essa afinidade que ele tem com o produto vem de quando ele trabalhou por sete anos em uma indústria de móveis. Lá ele conheceu o poder dessa matéria-prima que pode dar vida a móveis totalmente diferentes um do outro, sempre com uma limitação que serve de desafio para se criar peças que surpreendam. “A madeira tem restrições como qualquer outro material, nem tudo é possível, mas sempre há uma maneira de trabalhar os desafios que ela oferece, apenas é necessário dominar as questões técnicas que envolvem um projeto”, completa.

Sofá Seixo, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria
Sofá Seixo, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria

 

Outra questão em que o designer se mantém muito atualizado é sobre a procedência das madeiras com que trabalha, ele nos conta que a matéria-prima é extraída de florestas de manejo ou então de lugares que possuam autorização do órgão fiscalizador, de maneira a serem vendidas legalmente. Quando perguntado pela possibilidade de se ver desenhando peças que não carreguem a madeira em seu layout, ele responde com certo medo, mas já aponta caminhos alternativos para seguir com suas criações. “Uma hora não teremos mais esse acesso fácil a ela, hoje já é muito mais restrito do que há 30 anos, por exemplo. Muitos materiais incríveis têm surgido, a superfície sólida mineral é uma delas, mas ainda são caros para usar em escala industrial e acessível.” Complementa.

Poltrona Camp, de Bruno Faucz para Moora
Poltrona Camp, de Bruno Faucz para Moora

 

Bruno nos falou também sobre os designers que mais admira, para ele a trajetória do mestre Sergio Rodrigues é inspiradora, por tudo que ele construiu durante sua carreira e por ser um dos pivôs da construção da imagem do nosso design nacional perante o mundo. Outro trabalho que ele aprecia é o do designer escandinavo Arne Norell, que tinha uma capacidade genial de misturar couro e madeira em suas crias. Apesar de suas inspirações, o jovem busca trilhar um caminho só dele, que não seja comparado com o de outros grandes nomes. “Quero construir a identidade do meu trabalho, gostaria que no futuro as pessoas olhassem para meus projetos e soubessem que são de minha autoria mesmo sem ter visto meu nome neles.” Finaliza.

Poltrona Alfaiate, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria
Poltrona Alfaiate, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria
Aparador Cavalera, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria
Aparador Cavalera, de Bruno Faucz para Toca da Movelaria

TOPO

ASSINE NOSSA NEWSLETTER